quinta-feira, 4 de maio de 2017

Resenha do livro - O Amor nos tempos do AI-5

Olá galera, boa tarde tudo bem com vocês?Bem andei ausente do blog ando meio depre,e isso acabou me afastando um pouco dos livros das resenhas, aos poucos estou voltando, e a resenha de hoje é O Amor nos tempos do AI-5 do autor Ricardo Faria.

Resenha:

O livro conta a historia de Afonso e essa história se passa nos tempos da ditadura, precisamente nos anos de 1971 e 197. Era uma época em que vocês sequer sonhavam em nascer! Naqueles anos o país vivia sob a ditadura e pelo que senti durante a leitura era bem severa. Coloca severa nisso! Existiam livros e revistas que não podiam ser lidos por serem considerados subversivos. Naquele época as pessoas respeitavam ou melhor tinham medo por que se sai-se da linha eram punidos e podiam até pagar com a própria vida o que não era nada bacana né?
Esse livro apesar de ter 544 páginas nos prende de uma tal maneira que fico abismada, porque a historia flui de uma maneira maravilhosa, sem rodeios. Me falaram antes de eu receber esse livro que iria ficar constrangida com algumas cenas, mas isso não aconteceu, muito pelo contrário me senti feliz por esse livro ter matado minha expectativas.  Sim eu tinha 100% de expectativas sobre esse livro por ver resenhas maravilhosas sobre ele. Gente é difícil falar o que senti lendo esse livro é uma emoção grande e tão satisfatória que vocês nem fazem ideia.

Essa historia me surpreendeu muito do inicio ao fim. Para vocês terem uma ideia: esse livro tem 544 páginas e eu o li em menos de um mês. Eu sei que vocês estão pensando “ei ela esta exagerando” mas realmente não estou. Esse livro se tornou meu xodó pela narrativa simples, sem enrolações. A historia nos prende de uma tal maneira que quando vocês vão ver já chegou na metade do livro.
Os pontos que me chamaram atenção foram:
A cumplicidade do casal Afonso e Celina. Apesar de a vida ter dado uma freada neles a ponto de eles quase terminarem o casamento de quinze anos; mesmo assim eles continuaram firmes e fortes. Nossa, queria que a vida real fosse assim como está narrada no livro, a forma como o casal lida com as coisas, cuida dos filhos... coisa que hoje em dia o que se vê são os pais de um lado e filhos dos outro, não existe brincadeiras entre pai e filho, é tudo na base da tecnologia, porque os pais trabalham demais e esquecem das coisas mais simples que a vida oferece. Afonso e Celina se divertem, vão a clubes, à praia a festas coisas que hoje em dia não se vê.

Também teve outro ponto que me chamou atenção durante a narrativa é o tratamento entre pai e filha outra coisa que não existe hoje em dia como já havia falado, estou falando da personagem Haydée com seu pai. Ela perdeu a mãe quando era criança e seu pai se tornou mãe e pai ao mesmo tempo. Me pergunto como será que é pra cuidar de uma filha mulher desde criança até à adolescência? O seu Virgilio, pai da Haydée, soube cuidar da filha apesar da vida ter lhe tirado a coisa mais importante, a base da família, no caso a mãe. Ele não deixou a peteca cair; parabéns seu Virgilio. O pai se tornou seu fiel escudeiro digamos assim cofre de segredos ele orienta a filha de uma tal maneira que até eu queria um pai como seu Virgilio.

No livro temos cerca de doze personagens, mas durante a narrativa metade dessas personagens some. Senti falta dos outros, queria que eles tivessem mais entrosado  durante a narrativa. Os personagens que me atrairam foram o casal Afonso e Celina, Haydée e o pai Virgilio e Toninho, esses eu amei os outros não falarei muito pois praticamente não foram muitos usados. Sobre as crianças só tenho uma coisa a reclamar: Bia tem um jeito do século vinte um. Sério, as crianças hoje em dia são assim como ela; já o Nelson adorei um garotinho super na dele.

Minha opinião:vocês querem um romance bem elaborado? Então leiam “O Amor nos Tempos do AI-5”, pois é um tipo de leitura com a qual vocês suspiram, juro a vocês. É um tipo de obra que aborda vários assuntos como autoridades rígidas, amor entre casais, diálogo entre pai e filha, traições e a maneira de tratar as pessoas, vocês vão se surpreendendo pela forma que os personagens são dirigidos.
Eu amei a obra apesar de ser grossa rsrsr, as folhas são amarelas, as fontes bem agradáveis, só acho que a editora deveria ter posto uma capa dura, pois livros grossos são mais fáceis de arrebentar a lombada. Fora isso a obra é impecável. Dou cinco estrelas pela obra mais cinco para o autor Ricardo Faria por ter caprichado essa obra maravilhosa.


Em breve trarei a entrevista que fiz comesse querido autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário