quinta-feira, 19 de maio de 2016

Primeiras impressões do livro Talvez Nunca Mais um País



Bom, de início deve ser destacado o tipo de escrita usado pelo autor na obra, que foi tranquila, apesar de ser em PDF. A narrativa em 1° pessoa tem um estilo literário um tanto formal. Nas quarenta paginas que li, não vi um xingamento, um ponto positivo, pois amo isso nos livros. A narrativa, em nenhum momento, deixou de fluir perfeitamente. O autor foi bem objetivo e tranquilo, em cada frase, em cada palavra. Durante a historia, você fica viajando e imaginando o que se passa com os personagens, diferente da enrolação vista em alguns livros. Só li quarenta páginas, mas já deu para ver que não tem enrolação. Isso é bom demais!

‘’Os sonhos não envelhecem.’’

A historia se faz surpreendente em diversos pontos. Os elementos colocados na ficção pelo autor e apresentado aos leitores estão na dosagem certa. Logo abaixo vou citar um trecho na qual me fez rir litros.

‘’Nossa turma de (sete) amigos: Zarolha, Tangerina, Espinhela Caída, Dumbo, Zé Ruela, eu e medo. Esse ultimo, a criatura mais horrenda da historia do colégio, diz: Fugi de casa e fui morar com meu tio.’’

Os personagens tem forma física e alma, não são meras aparições superficiais. E eles não deixam os leitores com aquela sensação de inexistência durante a obra.

‘’Se você acredita em si mesmo. Nem o infinito ou a eternidade são limites.’’

Obrigada Flavio Oliveira por me apresentar um pouco da sua obra, sucesso e sim merece cinco estrelas.



Link para comprar:
aqui: http://deliriumeditora.com.br/livros/livro_ficha1

Nenhum comentário:

Postar um comentário